Obtendo...

 

 

Domingo, 21 de janeiro de 2018

Mauro Sampaio

mauroadrianosampaio@gmail.com

15/12/2017 - 11h55

Compartilhe

Mauro Sampaio

mauroadrianosampaio@gmail.com

15/12/2017 - 11h55

Do sociólogo Jessé Souza, em seu livro, A elite do Atraso:

O homem cordial deve ser tornado pelo mercado e pela industrialização um homem tão democrático, produtivo, puro e honesto como os americanos...
Avaliar publicação       0
O escritor Jessé de Sousa em seu livro: "A Elite do Atraso", fala sobre a concepção do homem brasileiro, cuja elite o vê como cordial vira-latas e que deve ser domésticado pelo mercado. 

"O homem cordial é a concepção do brasileiro como vira-latas, ou seja, um conjunto de negatividades: emotivo, primitivo, personalista e, portanto, essencialmente desonesto e corrupto.
 
O homem cordial deve ser tornado pelo mercado e pela industrialização um homem tão democrático, produtivo, puro e honesto como os americanos, o exemplo de homem-divino para Sérgio Buarque de Holanda e para a esmagadora maioria dos brasileiros, intelectuais ou não.
 
O desmascaramento do fabuloso esquema de corrupção planetário do capitalismo financeiro americano a partir da crise de 2008 não parece ter enfraquecido as bases do viralatismo nacional".

  Tags:

Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Página inicial

Listar mais