Obtendo...

 

 

Domingo, 11 de dezembro de 2017

Redação

acessepiaui@hotmail.com

13/03/2017 - 08h52

Compartilhe

Redação

acessepiaui@hotmail.com

13/03/2017 - 08h52

Pedro Costa ensinava pescar para se fazer literatura popular

Avaliar publicação       0
Acesse Piauí

O Piauí, o Brasil e o mundo ficou sem um dos maiores poetas populares da contemporaneidade no último sábado, 11/03. Faleceu em Teresina o poeta, repentista e cordelista Pedro Costa, que era natural do município piauiense de Alto Longá. Pedro Costa sofria de diabetes, teve um AVC e foi vitima de infarto aos 54 anos.  

 

Pedro Costa foi produtor por mais de duas duas décadas de uma revista de grande repercurssão internacional a "De Repente". Através dela o poeta imortalizou seus versos de cordel, repentes e uma série de "histórias", além de publicar trabalhos de parceiros e amantes da literatura popular. 

 

A "De Repente" foi criada para divulgar a literatura de Cordel os acontecimentos do Piauí, do Brasil e do Mundo. A publicação tinha como finalidade preservar e resgatar a cultura popular nordestina, procurando por este meio registrar trabalhos históricos e nomes de poetas imortais. Suas páginas divulgavam trabalhos de repentistas, artistas e pesquisadores da literatura popular.

 

O poeta deixa o ensinamento que é possível manter uma publicação no Piauí por cima de troncos e barrancos, sem auxílio exclusivo do poder público. A "De Repente" era mantida principalmente através de vendas de assinaturas, publicidades e incentivos atrabés de apoio cultural de algumas empresas. 

 

Pedro Costa ensinou que para manter uma revista impressa era preciso o produtor criar seus próprios meios de produção e divulgação. Nesse sentido era ele, com ajuda de um filho, que escrevia, diagramava, entregava para assinantes e vendia para simpatizantes. Nos útimos tempos montou uma gráfica para imprimir a revista "De Repente". 

 

O poeta também fundou e era presidente da Fundação Nordestina de Corder - FUNCOR. A entidade ao tempo em que promovia e participava de festivais sobre lideratura de cordel, trabalhava na divulgação de livros e folhetos dessa literatura, estabelecia parcerias, com a finalidade de divulgar a literatura de cordel nas escolas.

 

Pedro Costa com certeza vai tornar o céu mais alegre e mais rico com a literatura que produziu a divulgou. Para nós, piauienses, fica a saudade, um pouco de angústia por não ter apoiado com mais vigor o trabalho do poeta enquanto ele tava vivo.     

   


  Tags:

sem tags

Comentários

Atenção! Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Página inicial

Listar mais